“Uma maluquice”

Demorou, mas Caetano Veloso voltou a falar.

O cantor e compositor Caetano Veloso disse em entrevista à BBC Brasil que acha “absurdo” votar novamente no presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

“Votar em Lula de novo? De maneira nenhuma. Não voto nele agora de maneira nehuma. Acho um absurdo votar em Lula de novo”, afirmou.

De acordo com Caetano, o voto no presidente nas eleições de 2006 é “uma maluquice”. “Ainda mais depois de tudo isso, dessa história do Palocci.”

Já dá pra imaginar de onde virão os votos de Heloísa Helena.

*

Maluquice mesmo é a declaração do governador Claudio Lembo:

Burguesia terá de abrir a bolsa, diz Lembo

O governador de São Paulo, Cláudio Lembo, afirma que o problema de violência no Estado só será resolvido quando a ‘minoria branca’ mudar sua mentalidade. ‘Nós temos uma burguesia muito má, uma minoria branca muito perversa’, afirmou”.

Isto é particularmente escabroso:


“A bolsa da burguesia vai ter que ser aberta para poder sustentar a miséria social brasileira”

Como se o ralo do Estado ja não levasse 40% da renda dos brasileiros em impostos — da renda da burguesia, que é quem paga impostos neste país.

Quando um governador compra a idéia da desigualdade — racial, inclusive — como causa da violência é porque tudo, tudo mesmo, está perdido.

Anúncios

3 comentários sobre ““Uma maluquice”

  1. Onde se situa, exatamente ou atemporalmente, a terceira posi??o do observador deste “post”, quanto ? vis?o do escabroso, quanto a pol?tica e quanto ao humanismo? H? que se considerar que at? dem?nios necessitam de alguma ordem para atentarem contra o mundo que, segundo reza o mito, odeiam. Em que posi??o de entendimento estariam os demais observadores deste mesmo quadro? Tenho por mim que n?o bastariam apenas numer?rios de impostos para solucionar ou diluir um problema que sempre haver? de existir, mas sim um outro tipo de imposto que, segundo Kierkegaard, “filisteus” n?o estariam dispostos a pagar por necessidade de se alterarem de sua zona de conforto – este, o maior dos impostos. Mais f?cil para quem finge dormir (e n?o se consegue acordar quem finge dormir) ? andar mais alguns passos para o centro da jaula e ignorarem que est?o dentro de uma.

  2. … S? desconstruindo os sistemas, ditos solid?rios, atuais e substituindo as v?lvulas por chips modernos e isentos deste sentimento intr?nseco que parece contaminar a cada um de n?s, em maior ou menor grau, que se intitula “corrup??o”. Al?m do mais, seria necess?rio muito esfor?o na educa??o para que a velha disjuntiva REFORMA vs REVOLU??O tomasse algum efeito que n?o fosse uma ebuli??o fora de controle dentro do nosso grande pa?s: nem a urg?ncia jacobina, nem a clem?ncia e favoritismo dos gerondinos. Tal ? o dilema (…) – E lhe informo mais, sem compara??es: o Haiti se excluiu da linha do tempo por quest?es muito menores que as nossas, no campo de trag?dias pol?ticas.

Os comentários estão desativados.