Eu queimei O Capital

burn it! burn it!

Excelente a campanha do Pé Sujo.

(…) basta dirigir-se a um sebo mais próximo e comprar as duas edições da obra. Faça uma fogueira e queime-as. É importante você fotografar o ato para que a sua ação seja copiada por uma alma generosa que pretenda, assim como você, livrar o mundo dos livros ruins e dos comunistinhas limonadas. A intenção da campanha é que todo o mundo se livre desse mal. A primeira etapa é livrar os sebos onde se encontram essas porcarias a preços baixos, facilitando a propagação desse mal.

Há apenas uma questão importante: desde quando comunistas e socialistas lêem? Você conhece algum comunista ou socialista que tenha lido “O Capital”? Você conhece algum que tenha lido pelo menos o “Manifesto Comunista”, que é mais breve e com linguagem mais adequada ao espírito neo-revolucionário do Bananão? Eu não conheço.

Mesmo assim, a iniciativa é louvável. Não se trata, como alguns podem pensar, da recriação do inferno imaginado por Ray Bradbury em Fahrenheit 451, que condenava todos os livros à fogueira. Trata-se de um único título, de um único autor, o que deixa aos comunistas o convite para estudar a sério, embora eu tenha razões para acreditar que eles jamais farão isso.

Seja como for, quem quiser tem a chance de ler, sem qualquer custo adicional e por sua própria conta e risco, o Manifesto Comunista em formato PDF. Depois me conte o que achou. Eu não li todo o livro, mas sei que no final 100 milhões de pessoas morrem e o culpado não é o mordomo.

Anúncios

9 comentários sobre “Eu queimei O Capital

  1. Christian, bom dia.
    Faz algum tempo que não faço um comentário aqui, mas continuo a ler todas as suas reflexões.
    Considero voce como um amigo,e acho que amigos falam e criticam não só apoiam, pois todos temos idéias comuns como tambem bem diferentes.
    Sei o quanto admira Olavo de Carvalho , se referindo a ele como seu mestre.
    Sinto em lhe informar(mas voce já sabe) que o livro que voce apoia a fogueira já fez parte ou ainda faz da bibliteca de quem voce tanto cultua.
    Mais ainda, ele já defendeu as idéias do comunismo e não esconde isso de ninguém, aprendeu com suas experiências e está seguindo o caminho do aprendizado como todos nós.
    Então afirmar que socialistas e comunistas não leêm seria de alguma forma dizer que seu mestre tambem não é letrado?
    Tenho certeza que voce sabe onde quero chegar, pois é muito inteligente.
    Qual a sua responsabilidade pelo que escreve ou está sugerindo?
    Sinto-me perdido com tantos mestre a sugerir tantos caminhos, poderia deixar a minha vida ser dirigida pelas suas sugestões e tambem do blog Pé Sujo.
    Para que o esforço de pensar com tantos mestres mostrando o divino caminho?
    É só colocar o banner sugerido no meu blog e queimar os exemplares em praça publica,qual será a próxima sugestão para salvar o mundo?
    Voces não se diferem em nada dos que condenam, só tem lados diferentes, as idéias de reformadores do mundo está impregnada junto com as idéias copiadas dos livros que usam para impressionar e não para aprender.
    Sinto-me entulhado de meninos lendo e recitando em grego,enquanto limpam o nariz com um lenço.
    Quanto existe do pensamento de voces? de suas experiências? da responsabilidade dos mais jovens ou daqueles que os admiram?
    Em um post voce cita Cristo no outro apóia a queima de um livro.
    Sobre o Mordomo não ser o assassino,as palavras mal empregadas da Bíblia ainda hoje matam, Atirar a primeira pedra hoje em dia é questão de pontaria e não de força moral.
    Poderia ter enviado esta critica via email,mas como voce gosta de expor suas idéias talvez agrade ver o que elas provocam.

  2. Cara, realmente os sebos estão atulhados com todo tipo de subliteratura marxista – e não apenas dos “clássicos” comunas, como a “Bíblia” deles, “O Capital” (que absolutamente ninguém lê). É impressionante a quantidade de lixo impresso por nulidades esquerdistas. Sei lá, de alguma forma a publicação dessas porcarias deve dar algum lucro para as editoras (a turminha de esquerda deve comprar para enfeitar a estante, ou coisa assim).
    Eu só discordo da “fogueira”. Em tempos polititicamente corretos, seria melhor reciclar o papel das edições de “O Capital”. :)

    Um abraço e Feliz Ano Novo!

  3. Na semana passada, encontrei (mas não comprei) num sebo daqui de Porto Alegre o livro “Moçambique – A caminho do socialismo”, de Tarso Genro. Folheei algumas páginas e li tremendas bobagens escritas pelo famoso petista, entre as quais a defesa da nacionalização de empresas e de uma educação “socialista e revolucionária”. É um tipo de livro que deveria ser queimado mesmo…

  4. A propósito, me parece adequada uma frase que li em algum lugar:

    “Um comunista é alguém que leu O Capital. Um anti-comunista é alguém que entendeu O Capital.”

    É mais ou menos por aí…

  5. Há o risco, como aponta o Olavo de Carvalho, de proliferar a mais prolifera das sub-espécies de marxista: a que não leu o capital, apenas decorou, de segunda mão, os aforismos de sintaxe mais simples. Quando não hover mais o Capital, ninguém mais vai poder criticá-lo, e a revolução cultural estará completa. Marxismo vai ser o que eles quiserem que seja. Agora, sério. é um país que ainda lança novas edições desse lixo. Sempre havrão sebos com essa coisa. PS: Christian, stop jumping, man.

  6. Norton,

    Eu sei que “O Capital” já esteve na biblioteca do Olavo de Carvalho e que ele próprio já foi comunista. Talvez por tê-lo lido é que ele deixou de ser comunista, não sei. Mas desconfio que a leitura desse livro tenha alguma relação com sua condição de ex-comunista.

    A campanha iniciada pelo Pé Sujo, é claro, é uma brincadeira. Talvez seja uma brincadeira de mau gosto — e se este é o ponto em que você pretendia chegar, eu concordo com você. Se for necessário justificá-la de alguma forma, eu diria que ela cumpre razoavelmente a tarefa de lembrar aos comunistas/socialistas que o estudo é importante e que, se eles não leram “O Capital”, que leiam então, ao menos, outros livros. Seria muito bom se os comunistas se dispusessem a defender suas causas com estudo, lógica e argumentação decentes.

    A campanha do Pé Sujo é, assim, uma provocação. Claro que provocações não são coisas muito boas, mas talvez isso dependa uma pouco das pessoas com quem estamos lidando. Comunistas/socialistas só dialogam quando provocados, quando colocados diante de frases e gestos especialmente elaborados para provocar. O convite ao diálogo é freqüentemente ignorado. Digo isso por experiência própria, porque já tentei perguntar sobre estudo, sobre leituras, sobre a ideologia de esquerda e o comunista/socialista em questão apenas disse que não apenas não havia estudado como também não havia lido nenhum livro de Marx — embora se declarasse marxista.

    Evidentemente, não pretendo queimar livros. Sobre “O Capital”, seria bom se mais e mais pessoas pudessem lê-lo e pudessem defender suas ideologias com conhecimento de causa ou as abandonassem de vez — embora eu pessoalmente considere isso uma perda de um tempo precioso que poderia ser melhor aproveitado com outros livros.

    Eu acho inadequada a comparação entre a Bíblia e as obras comunistas. Decerto os livros comunistas não fazem apologia do assassinato, como o Velho Testamento chega a fazer, mas desencadearam e forneceram as bases ideológicas para revoluções que efetivamente causaram a morte de milhões de pessoas. O que a Bíblia causou? Há diversas notícias de pessoas que são mortas porque seguem aquilo que a Bíblia ensina, como é o caso dos cristãos perseguidos na China. Não sei de nenhum caso em que seguidores da Bíblia apóiam-se neste livro para eles próprios cometerem assassinatos.

    Poderíamos dizer que “O Capital” é só um livro e que todos os livros merecem respeito e estantes limpas numa biblioteca. É verdade, mas não se trata, como ensina a história, de um livro comum. Ele não merece a fogueira, é claro, mas merece leituras críticas e atentas, algo que nem os próprios comunistas/socialistas têm sido capazes de fazer. Se uma campanha de brincadeira puder movê-los a isso, ótimo. Se não puder, a campanha logo cairá no esquecimento em que caem todas as brincadeiras de mau gosto.

    (a resposta demorou porque nesse período houve a mudança do saite)

  7. engraçado como as pessoas formam opniões em cima de outras opniões…qual a relação do que você fala com 100 milhões de mortos?
    Acredito que o livro ideal pra vc é a bíblia!

  8. Alguém, lá pelo início da década de 1930, em um país próspero chamado Alemanha, também resolveu queimar livros que “achava que não serviam” .
    Já ouvi, quando era jovem, no final da década de 60, padres velhos falarem a respeito de queimar certos livros de educação sexual, entre eles o relatório de um casal de americanos,(estudo sério e científico) sobre o perfil sexual da sociedade americana de então. Não me lembro sobre os nomes do referido casal, todavia foram muito famosos pelo seu trabalho na época.

    Quando tais idéias surgem, como essa sugerida de mandar queimar “O Capital” , de Karl Marx, não há como deixar de entender um viés de ignorância e fanatismo. Infelizmente, a Humanidade tem sido pródiga em tais “abortos de entendimento” ao longo dos séculos.
    Com semelhante idéia, já colocada neste blog há quase 3 anos, depreendo que o século XXI não é, pelo menos até agora, um marco de avanço na intelegência e entendimento da Humanidade. Só pode denotar um recrudescimento raivoso da ultra-direita, com tonalidades fascistas. Tem tanta porcaria escrita por aí que, se fosse para queimar, deveria preceder, e em primeiro lugar em uma longa fila, qualquer obra de Karl Marx. Especialmente “O Capital”. Foi o pensamento sociaista que possibilitou o progresso social do que hoje chamamos capitalismo. Foram as idéias e projetos socialistas que fizeram o capitalismo “acordar” para o lado humano do chamado “mercado”. Daí surgiu a regulamentação das jornadas de trabalho, da aposentadoria por tempo de serviço, da regularização da associações de trabalhadores(antes criminalizadas), das leis de proteção ao trabalho periculoso, da proteção ao consumidor, … etc. etc. e etc.
    E, se o socialismo foi deturpado ao longo do tempo, chegando aos banhos de sangue referidos, vejam bem que os seus maiores mentores pouco ou nada eram, de fato, socilaistas. Apropriaram-se do conceito a seu favor. Tanto quanto faz, o capitalismo em seus pressupostos básicos.
    Por outro lado, pouco ou nada se fala, dos assassinatos e massacres feitos em nome do capitalismo( a América Latina é pródiga nesses exemplos).
    Daí, concluindo, ao se chamar para queimar na fogueira “O Capital” de Karl Marx, não há como deixar de entender como mais um “chamado ao massacre”. Apenas, que desta vez é mais um massacre à consciência humana. E, por tabela, um massacre na busca por justiça social e econômica.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s