Melhor do que dormir

Uma das coisas mais irritantes na literatura zen-budista é o fato de que todos os autores tentam explicar algo que não pode ser explicado — essa impossibilidade é reafirmada até mesmo pelos próprios autores e é parte indispensável desses escritos.

Quando leio expressões como “para o zen, o lixo é algo bom” ou “ser zen é permitir”, eu tenho a certeza de que estou sendo enganado. O zen-budismo tem monges, tem templos e tem rituais mas insiste em dizer que não é religião. Fala sério.

Eu lembro da primeira vez em que fui a um templo zen-budista. Encontrei um edifício fechado, onde não havia qualquer indicação de horários de atendimento ou uma recepcionista linda e bilíngue ou barricadas e cães ameaçadores ou pelo menos uma plaquinha dizendo “fiado, só amanhã”. Na segunda vez em que fui a um templo zen-budista, não só consegui entrar como também vi o majestoso altar — cheio de imagens e coisas brilhantes que pareciam ouro, como manda a tradição zen — como também pude ver ao lado um cartaz com os nomes dos principais contribuintes ($) do mês.

Eu não quero ser enganado. Eu não quero saber o que é e o que não é zen — há uma grande distância entre o zen adjetivo e o zen substantivo e o primeiro não me interessa em nada. Eu quero fazer algo e saber se isso vai me levar a algum lugar, a despeito do que conceitos como wu-wei (não-ação, que é taoísta, sim, eu sei) e mushin (não-mente) podem significar. Os koan são divertidos. O kinhin (lê-se “kin hin”, com o h aspirado) e o zazen (ou, mais especificamente, o shikantaza) são exercícios físicos e mentais interessantes. Para o ocidental médio, acostumado a não parar e a funcionar física e mentalmente numa linha segura e límpida, o zen pode realmente ser um bálsamo.

Logicamente não espero um zen-budismo de resultados, apenas busco algo que seja melhor do que dormir. Dormir é a forma defintiva de amansar o espírito, acalmar a mente, encontrar paz de espírito e, se você é um romântico ou uma besta incurável, promover a paz mundial.

Anúncios

4 comentários sobre “Melhor do que dormir

  1. prezado amigo desconhecido (mas aparente buscador sincero),

    vc ainda está longe(?) de sua casa ou de sua busca…mas de tanto e insistentemente buscar (vá lá que vc tenha essa força), vc acaba encontrando aquilo que hoje vc só vê de errado (entulhos que impedem de ver o que precisa ser visto, ou melhor, experimentado)…não desista…encontrar o caminho torto faz parte do encontro do caminho. Abço amigo…coelho

  2. Há comércio em todos os lugares. Talvez vc. não tenha entrado no lugar que vc. idealizou pq. ele pertence a sua imaginação. Tente ver sem preconceber as coisas. Apenas deixe cada coisa ser o que é.

  3. dica: Leia “Zen Mind, Beginner´s mind” de Shunryu Suzuki .. Ps* O Zen não é para ser entendido através de palavras,por isso você vê perguntas e respostas ridículas. A idéia é essa mesmo ;)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s