Neutralidade

Se eu fosse uma pessoa sensata, eu dedicaria este site inteiro a reproduzir trechos de outros autores. Só que um engraçadinho, lá no fundo, me lembra que isso é uma espécie de falsa modéstia: você se abstém de dar sua opinião e mostrar aquilo que sabe, mas mostra aquilo que lê, aquilo que aprova e, claro, sua capacidade de julgamento sobre a obra alheia. Nas entrelinhas de cada citação está escrito “na minha opinião isso é muito bom e eu acho que você deveria ler”. E se é impossível ser neutro numa empresa tão pessoal e pequena, imagine no restante.

*
As mudanças recentes neste site incluiram a adição da seguinte frase junto ao formulário de comentários: “Cuide do que é seu”.

Viver em sociedade seria um pouco mais fácil — ainda que a esquerda não virasse pó — se cada um cuidasse do que é seu, tivesse um traço de responsabilidade pela palavra lançada, pela idéia defendida. Acontece (oh, fuck…) que defender idéias e lançar palavras tornaram-se exercícios tão banais quanto exagerar no almoço de domingo e arrotar depois. Conheço muitas pessoas que diriam com a maior inocência do mundo: “Arrotei, e daí?”. Em família, aceita-se esse tipo de grosseria. E só nestas condições.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s