Quid est?

Janer Cristaldo se refere ao Papa Bento XVI como “o maior traficante internacional de drogas”. Um sujeito com quem troquei alguns e-mails classifica como “terroristas” todas as religiões — todas, não algumas –; amiga minha coloca sob a mesma sombra de dúvida as ações militares de Israel e Estados Unidos no Oriente Médio, que considera tão terroristas quanto as ações de grupos radicais islâmicos. No Brasil há muitas pessoas que acham que George W. Bush é nazista. É evidente que não dá para dialogar com todas estas pessoas; melhor, mais seguro e mais saudável é manter distância de quem prefere se manifestar nas ruas do que num diálogo civilizado. Às pessoas com quem é possível manter um diálogo deste tipo, os parágrafos seguintes.

Não há problemas sérios em ter opiniões, mesmo que sejam estapafúrdias. O problema está em ter opiniões sobre assuntos e objetos cujas definições não conhecemos suficientemente. Você pode achar o aborto o máximo, desde que saiba o que é o aborto, como se faz um, no que consiste, afinal, a interrupção de uma gravidez.

Por exemplo, deve haver uma boa definição de terrorismo em algum lugar. Segundo esta definição poderíamos classificar as ações militares e paramilitares. Existem diferenças entre as ações do exército israelense e dos grupos islâmicos que explodem carros-bomba. Resta saber se, a despeito destas diferenças, podemos classificar os dois tipos de ação como terrorismo com base naquela definição inicial.

Outro exemplo está ligado ao nazismo e ao presidente norte-americano. As idéias e ações de Bush podem ser reunidas e analisadas. O nazismo, como ação, ideologia e doutrina política, pode ser razoavelmente bem definido. Bastaria, assim, reunir a definição e a pessoa que se pretende classificar como nazista. À luz daquela definição, Bush é nazista? (Decerto este exemplo é secundário e impossível de discutir; basta ver o tipo de pessoa que costuma sustentar essa tese)

O exemplo de Janer Cristaldo é o mais sério, porquanto se trata de um jornalista e intelectual, responsável, pelo próprio ofício, a ter as definições em mente antes de expelir expressões de polêmica fácil. Mesmo assim, antes de avançarmos rápido no repúdio ao anti-catolicismo do jornalista, deveríamos perguntar-lhe: o que se entende por “traficante de drogas”? O Cristianismo é uma droga tanto quanto a cocaína e o ópio? Quais as diferenças? Quais as semelhanças? O que define uma droga? A polêmica esvazia-se assim. E logo se vê que de um post pretensamente polêmico nada resta. Só um bater de panelas patético.

Basta perguntar “o que é isso?”. Na maioria das vezes as pessoas simplesmente não sabem do que estão falando, o que não as impede de se manifestar sobre o objeto em questão e exigir do interlocutor a mesma atenção que se credita a alguém que realmente estudou o assunto. Na definição dos termos está a resposta para a maioria das dúvidas, dos problemas e das discussões.

Anúncios

2 comentários sobre “Quid est?

  1. Quem fala assim não tem nenhuma preocupação com a exatidão dos conceitos usados. Não quer saber das diferenças e das semelhanças entre os casos. Elegeu um inimigo, e apenas quer lançá-lo numa classificação odiosa, para obter do auditório a repulsa por ele. Quer jogar sobre ele todas as imagens negativas associadas ao nazismo, ao terrorismo, ao tráfico de drogas.

    O Cristaldo às vezes é interessante. Mas em boa parte do tempo ele decepciona.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s