Uma segunda chance

camiseta comunismo

O cara mata toda a sua família (tua, não dele). E os seus vizinhos. E o seu cachorro. E o Demerval do açougue. Mata também a família do Demerval, o cachorro do Demerval e os vizinhos dele (do Demerval, não do cachorro). Aí ele vai preso. Na prisão, ele diz que fez tudo com a melhor das intenções, que pretendia mudar o mundo e que você, sua família, o Demerval e todas as pessoas que ele matou eram burgueses, eram os verdadeiros causadores da injustiça social. Isto fazia, por exemplo, com que você e o Demerval tivessem saúde e casa própria enquanto ele, o assassino, era um miserável que perambulava nas ruas. Diante desse discurso, o delegado não vê outra opção senão soltar o cara. “Vamos dar uma segunda chance a ele”, diz o delegado, “ele quer melhorar o mundo”.

*
Mal começamos a terça e a asneira da semana já foi escolhida. Veio do historiador inglês Edward Acton:

Pergunta – Quando se fala em nazismo, por exemplo, há o consenso de que essa experiência jamais poderia ser repetida. Você acha que o comunismo deveria ter uma outra chance na história?

Acton – Precisamos definir bem o que queremos dizer com o termo “comunismo”. Se nós tomarmos por comunismo uma tentativa de organizar a sociedade na base do controle coletivo e até na base de uma propriedade comum dos meios de produção, podíamos tentar novamente, sim. Mas não com uma rígida ideologia, ou com um partido que negue participação. A história soviética nos mostrou que o planejamento falha na ausência de democracia.

O grifo ali em cima é meu, mas há trechos bem piores na entrevista, que merece ser lida na íntegra.

Pergunto: 100 milhões de mortos significam algo? Que tal permitir que os comunistas matem mais 100 milhões só para termos certeza de que a coisa não presta? O que você acha, leitor?

*
O nazismo matou cerca de 6 milhões de pessoas. Hoje é proibido por lei exibir símbolos nazistas e fazer apologia do nazismo.

O comunismo matou 100 milhões de pessoas. Hoje pessoas sustentam com orgulho a foice o martelo — sem falar nas camisetas de Ernesto Guevara, um hit absoluto.

Que tal uma campanha de criminalização do comunismo?

Anúncios

20 comentários sobre “Uma segunda chance

  1. Lá vêm as viúvas da guerra fria de novo…
    ou seriam neo-macartistas?

    100 milhões de mortos? Quem chegou a esse número? Como? Quais fontes? Se for o “Livro Negro do Comunismo” eu paro por aqui, porque isso não é sério.

    Alguém sabe quantos morreram no mundo capitalista, nesse mesmo período, incluindo os massacres de Yroshima, Nagasaki, Coreia, Vietna, Guatemala e Nicaragua, só pra citar os mais conhecidos? E os mortos de fome da Africa sub-saariana?

    Alguém aí sabe que no mundo capitalista morrem SÓ DE FOME 100 milhões A CADA 12 ANOS?

    E que nas contas do holocausto, foram excluídas as mortes de 22 MILHÕES de cidadãos soviéticos mortos sob mãos nazistas?

    Faz sentido considerar que o comunismo simplesmente DOBROU a expectativa de vida na antiga URSS, China e Cuba? Ou este tipo de dado é estrategicamente esquecido?

  2. Só pra complementar:
    campanha pela criminalização do comunismo já existe há um século neste lado do mundo, se é que você costuma acompanhar jornais, revistas, TV, cinema, etc…

  3. Luiz,

    Os números estão aqui, devidamente pesquisados com apuro acadêmico:
    http://www.hawaii.edu/powerkills/20TH.HTM

    Se quiser, a Wikipedia também tem esses números:
    http://en.wikipedia.org/wiki/Democide

    Pegue apenas os números da ex-URSS e da China e some-os. Depois me diga a qual resultado você chegou.

    *
    Apenas para você ter idéia da sua miopia: a ditadura comunista que se instalou no sudeste asiático (Vietnã, Camboja) matou aproximadamente o dobro da Guerra do Vietnã, na metade do tempo.

    *
    Dicas: da próxima vez, pesquise e seja educado — eu leio jornais.

    Depois, se você quiser, podemos falar do capitalismo.

  4. Mesmo se a discussão não tocar no assunto mortes, o comunismo é uma grande piada. Ainda não achei um comunista que me explique como se faz o cálculo econômico numa economia planificada.

    Habilita-se, Luiz?

  5. Olha eu nao sou uma pessoa tão qualificada pra criticar ou apreciar um ou outro, so sei que, a meneira como foi colocada o comunismo no mundo foi a maneira errada, os grandões da epoca aqueles que queriam contralar tudo tiveram o que precisavam na epoca para ter este controle, esse comunismo não é nem o que Marx escreveu. Bem posso esta falando bobeira por um entendimento errado do que li, mas, acredito que, o que entendi, falasse assim, que o comunismo seria uma evolução do socialismo, um tipo de mutação hehehehe. Pois bem, ai é que quando estudamos historia, vc descobre que houve o comunismo real (sovietico) e o cientifico ou chamado de literario. Quando no postado o cara fala sobre democracia, sim, eu sei é quase impossivel ter isso, mas e por acaso isso fosse possivel, criar uma sociedade utopica onde seria justa, o comunismo poderia sim, ter uma segunda chance, mas conhecendo o ser humano como conheço, e na atual conjuntura, isso não é possivel.

  6. Mas veja, João Manoel.

    O comunismo/socialismo foi implantado em diversos países: Cuba, ex-URSS, China, Coréia do Norte, Vietnã, maior parte do Leste Europeu etc. Estes países têm características distintas e apenas uma coisa em comum: o sistema político que os domina ou os dominou durante décadas. Onde foi utilizado, esse sistema causou miséria, mortes e destruição; quase sempre seus líderes tornaram-se ditadores. Liberdades individuais foram suprimidas. Esses países empobreceram e suas economias tornaram-se insignificantes.

    Daí a questão: será que o socialismo científico, lindo e ideal, não é precisamente o que foi implantado nesses países? Será necessária mais uma experiência real para ter certeza de que o socialismo e o comunismo não passam de uma brincadeira macabra?

    “Se” fosse possível manter a democracia num sistema socialista ou comunista, eles teriam outro nome.

  7. Ótimo, Christian
    indicar a wikipédia, e um site que é o primeiro a aparecer no Google em qualquer pesquisa sobre mortes do comunismo, e ainda dizer que isso possui rigor científico é simplesmente uma piada.

    Bastaria visitar o site Victims of Communism Memorial dos republicanos americanos, que ali está cheio de dados e fatos forjados para os internautas da direita inundarem a internet. Basta ler o Livro Negro do Comunismo, best-seller sem nenhuma base científica, cujos editores até já admitiram as fraudes contidas ali, para você saber de onde tiram os números que você está tentando divulgar.

    E alguém vai me explicar porque as mortes de 24 MILHÕES DE PESSOAS POR DIA sob a mãozinha invisível do Adão Smith são menos importantes que as tais 100 milhões? (http://www.thehungersite.com/clickToGive/home.faces?siteId=1)

    [TRECHO APAGADO PELO WEBMASTER]

  8. Luiz,

    o tópico não é sobre capitalismo, mas pergunto apenas o seguinte:
    onde se morre mais de fome: nos países capitalistas ou nos países socialistas? Será que o problema da fome é causado apenas por razões econômicas?

    Além disso, há uma diferença muito grande entre “morrer por causa do capitalismo” e “morrer por causa do socialismo/comunismo”. Quando falo de 100 milhões de mortes, eu me refiro a mortes causadas diretamente pela insanidade do regime e de seus líderes. Dê uma pesquisada no “Grande Salto Adiante” de Mao, só para citar um exemplo.

    *
    Sobre os links que sugeri: o que você diz não os invalida.

    Wikipedia tem muita coisa errada, mas também tem muita coisa correta.

    O outro link é de um site de um pesquisador de uma universidade norte-americana. Os números que ele mostra são confirmados por vários outros sites e fontes. Sugeri este porque era o mais detalhado.

    Se você não se deu ao trabalho de ler a pesquisa dele, o problema é seu. Apenas não me venha falar de rigor científico.

  9. Christian, concordo com vc, realmente tem isso sim, como vamos saber, será que teremos que pagar pra ve. Bem, sei que é dificil fazer isso, e ta parecendo que estou defendendo o comunismo e tal, so acho que muitas vezes pessoas que não tem uma analise cientifica das coisas ficam criticando sem saber (não quero dizer que é seu caso). Pois quando analisam o comunismo so lembram das coisas feias e não do que ele poderia fazer. O que queria dizer antes é que os grandes lideres principalmente os sofieticos, que inspiraram os outros, expertos como qualquer outros lideres usou de uma teoria, de uma nova visão economica-politica para ficarem no poder ou para terem mais poder. É facil culpar o sistema sem analisar quem o controlava, não quero dizer que ele é mais perfeito que o capitalismo não, e nem que o capitalismo e o bixo, o que vale. A minha ideia é que cada momento da historia acontece do geito que tem que acontecer. Essas coisas de quem matou mais quem matou menos não deve levar a discussão em nada. Pois ai foge do que se trata de verdade o topico. Assim, peguei e li a entrevista endicada no topico sobre a comemoração dos 90 de blablabla, sei que cada um tem seu ponto de vista, mas concordo com o cara, se analizarmos de outra maneira pode se ter algo diferente, mas hoje, na atual conjuntura e na epoca isso era impossivel.

  10. Quando um cidadão se põe a falar da “mão invisível” de Adam Smith, é como uma confissão: “eu nunca lí Adam Smith”. É infalível. 100% de acerto!

    Se as pessoas lessem antes de sair falando, eu não precisaria lembrar que o pré-requisito para um debate é o conhecimento dos objetos da discussão. Quem critica o marxismo é obrigado a ler toda aquela porcaria para saber o que significa o Socialismo, o Comunismo e suas características; mas quem se propõe a criticar o Capitalismo acredita que não devem conhecê-lo. Como são vagabundos, preferem sair por aí falando da tal “mão invisível” do Adam Smith, que é citada em uma ou duas páginas das quase 600 de A Riqueza das Nações, para designar tudo aquilo num mercado que não pode ser mensurado ou previsto.

    A diferença é que o Capitalismo não foi criado, foi ajustando-se conforme as relações e ações humanas naturais de uma sociedade. Já o Comunismo foi criado com um único propósito: a tomada do poder. Por isso se faz através de inviabilidades econômicas e sociais.

    O que é ignorado pelos que não leram Adam Smith e nem conhecem os princípios econômicos, talvez devido à tamanha dedicação para conseguir um emprego público, é que tudo ronda a geração de riqueza, que requer um mercado que se auto sustente com a circulação de capitais, bens e serviços. Para comprar uma Ferrari, antes ela tem que ser produzida. Para isto recebe-se um salário, com o qual eu posso comprar um fusca ou um macintosh. As desigualdades sempre vão existir, afinal, todos somos diferentes, temos trabalhos diferentes e meios de vida e produção diferentes. O que vai definir a estrutura socio-econômica será o valor agregado àquilo que cada um é capaz de produzir. Para tudo isto funcionar, convém um mercado livre de imposições estatais e uma distribuição democrática de poderes. E é isto que o Estado deve prover, segundo a análise capitalista liberal, além da garantia das leis, da educação básica e os programas de saúde. Mas querem sempre ver o mundo na óptica brasileiro-lulista, como se todos os governos comprassem a imprensa e pagasse mensalão.

    No caso da fome, o que determina o fator econômico do problema é o sistema político. Os monopólios são verdadeiros atentados aos princípios capitalistas, que se baseiam na confiança do cumprimento das leis e regras pré-estabelecidas. E nos países que ocorre morte por falta de comida, os regimes políticos adotados centralizam poderes e praticam o monopólio estatal. Na África, o continente que abriga a maior parte dos famintos, é exatamente assim. E é o que eles têm em comum com a China de Mao, o Camboja de Pol Pot e a ex-URSS. Todos são ditaduras e utilizam a fórmula marxista. E juram que todos os assassinatos e famintos produzidos, são em benefício do povo.

  11. Bem vou usar a fala do Christian, mas estamos aqui discutindo sobre comunismo, o que o Diogo falou, é a mais pura verdade, eu conheço os livros de Adam, e outros, adoro ler e fasso das palavras dele a minha (relembrando, não estou defendendo o comunismo ou o socialismo) para se criticar algo tem que ler, da mesma forma que essas pessoas de hoje que se dizem socialistas e tal criticam o capitalismo sem nunca ler nada existem tambem os que creticam o socialismo sem nada ler. Bem graças a esse blog tentei levar essa discussão pra sala de aula e constatei o que ja tinha falado, que por causa dos poderosos da epoca, aqueles que detinham o poder usaram o marximos como trampolim para terem mais poder em mãos. As pessoas quando vão falar de comunismo lembram-se somente que Ditadores, manipularam, deturparam a literatura de marx para controle da nação deles. Bem mas se eu continuar aqui, vou continuar repetindo o que to falando desde dos outros comentario. Acho muito interessante essa discussão, o que se tem que lembrar é que estamos em uma sociedade “democratica” ou quase né hehehe, e todos podem achar, pensar o que quise, temos é que respeitar. Fasso aqui então um convite, que possamos esta levando a discussão adiante, de uma maneira educada e inteligente, para o crescimento e desenvolvimento do conhecimento, e passando isso pra frente, pois esse tipo de debate ajuda e muito aqueles que não tem nenhum tipo de conhecimento.
    E Christian Quando usei isso em minha sala de aula, não esqueci do que vc pediu, levei o nome do seu site, e tal.

  12. João Manoel,

    é fundamental verificar se a manipulação e a deturpação do sistema não é parte do próprio sistema. Veja: o socialismo e o comunismo geraram os seguintes problemas em todos os lugares em que foram aplicados:

    – supressão das liberdades individuais
    – genocídio
    – miséria
    – conversão do governo em ditadura

    Não importam quem foram os líderes e quais eram os países. O resultado sempre foi o mesmo. Deve-se responsabilizar as pessoas que aplicaram o socialismo e o comunismo em seus respectivos países, logicamente, mas não se deve desconsiderar o legado de ruindade criado por Marx e o peso que as teorias têm e tiveram nesses casos.

  13. Me desculpe Christian, mas isso é uma enorme bobagem.
    Por acaso o Haiti é uma república socialista?
    E a Somália?
    E a Etiópia?
    E a Alemanha nazista, que apesar da direita insistir em associar nome do Partido Nacional-Socialista com a esquerda, não tinha nada de marxista muito menos socialista. Tanto é que foram mortos 22 milhões de cidadãos soviéticos pelos nazistas.
    Indo mais na raiz:
    E o genocídio das populações ameríndias promovido pelos europeus?
    E o genocídio cometido na China pelos japoneses?
    E o genocídio cometido no Paraguai pelo Brasil?
    E o genocídio cometido na Armênia pelo turcos?

    Me dfiga por favor, Christian, o que todos estes casos têm em comum entre si.

  14. Luiz,

    eu não atribuí esses eventos ao socialismo e ao comunismo. Eu espero que você não tente atribuí-los ao capitalismo. Analise-os um a um e procure saber as causas. Cada um desses eventos foi suficientemente estudado e documentado.

    Apenas para ficar no exemplo do Haiti, vai ser muito divertido você dizer que Papa Doc estragou o país porque era capitalista.

    *
    Ademais, faça-me um favor: some todos os mortos desses eventos que você listou. Passa de 100 milhões?

  15. Não sei posso ta sendo muito simples ou ainda mais inocente, mas acho meio que errado atribuir a culpa disso tudo que aconteceu a esses lugares ao socialismo e ao comunismo. Sim essas pessoas o usaram, mas será que o usaram da forma correta, da maneira que ele foi escrito, de forma cientifica? Eis a questão. Afirmo novamente, não estou defendendo o comunismo não, mas acredito que se deve olhar de maneira diferente para essa questão. Eu culpo sim os lideres que usaram o comunismo sim, foi um meio que acharam para deter o poder e tals, não respeitaram o que devia ser feio ou não devia, e agiram de maneira ditatorial, violental, autoritaria e etc., Sim eu acredito que se houvesse uma sociedade onde o ser humano não pudesse ser corrompido, uma sociedade democratica e justa (uma coisa utopica) o socialismo mereceria sim uma segunda chance. Mas me pergunto, e pergunto a vcs tambem, porque temos essa visão violenta do socialismo/comunismo?

  16. Mas me pergunto, e pergunto a vcs tambem, porque temos essa visão violenta do socialismo/comunismo?

    João Manoel,

    Sem querer livrar a cara dos genocidas: já lhe ocorreu que talvez o comunismo e o socialismo sejam ruins por natureza?

  17. Eles usaram o Comunismo… certo!

    Não é à toa que Proudhon chamou Marx de a taênia do socialismo. Marx sempre visou o poder, tanto que criou mecanismos para isso com a Liga e a Internacional Comunista. Ele nunca quis debater, mas sim fazer revoluções, tanto que esta foi a causa da briga dele com os socialistas alinhados à Proudhon.

    Analisando o marxismo como filosofia é uma catástrofe, pois baseia-se em Hegel, que Shoppenhauer fez-nos o favor de demonstrar que eram um punhado de bobagens. Depois, e pior, misturou com Feuerbach, partindo do princípio de que a Filosofia não deveria mais se ocupar com a verdade, mas sim criar uma realidade nova. Aliás, pensamento que influenciou demasiadamente a Filosofia moderna, principalmente a francesa.

    Já como teoria econômica, o marxismo não é prático e nem possível. Isso porque parte daquela bobagem de “mais valia”, que torna impossível o Cálculo Econômico. Ludwig von Mises tratou disso e até hoje nenhum marxista toca no assunto, porque não há argumentos válidos contrários. Há ainda o fato de que até no comunismo há de ter acúmulo de capital, afinal, se não se transformar numa comunidade tribal, as coisas ainda terão quer ser pagas ou trocadas por algum bem monetário.

    Depois, temos o fato de que estudando as estatísticas econômicas da Inglaterra ele se viu num dilema. Pois tais números demonstravam que sua tese era uma fraude. A solução foi falsificar os números ou utilizar dados das décadas passadas. Claro que em países sérios até consultas às bibliotecas têm registros, e foi aí que pegaram Marx no pulo do gato. Um livro que conta bem essa coisa é Karl Marx and the critical examination of his works, de Leslie R. Page, com uma parcial análise de Paul Johnson em Os Intelectuais. Há um artigo interessante sobre o livro de Paul Johnson neste link: http://edulevy.blogspot.com/2007/07/johson-e-marx.html

    Enfim, este papo de que usaram o marxismo é furado.
    O mais interessante é que usa-se e abusa-se desta coisa absurda de separação de teoria e prática para o Marxismo; entretanto, tal artimanha não tem a mesma validade para o Capilalismo. No entanto, embora o cidadão aí queira jogar as mortes de famintos e de guerras no colo do Capitalismo, só porque houve causas econômicas, mas não como fator principal. Querer simplificar assim ou é má fé ou pura ignorância. Nenhum desses conflitos que o sr. Luiz citou tem relação com o Capitalismo.

  18. E… os nazistas tinham sim tudo a ver com os marxistas. Se matar comunista fosse prova de não-comunistidade (sic), Lênin, Stálin, Mao (e porque não dizer Fidel?) que mataram milhares de correligionários, se livrariam da pecha de comunista.

    Além disso, Hitler perseguiu os judeus que eram a elite econômica alemã. E tudo em nome de quem? Dos trabalhadores.

    Claro que Hitler não era comunista ou socialista. Mas era sim alinhado à esquerda. É um erro crasso definir o Nazismo como extrema-direita.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s