Enlouquecimento global

green grass car
Movido a adubo. O carro ideal para combater o aquecimento global.

Dizem que uma das melhores formas de prever o futuro é estudar o passado. Se você sabe como e por que certos fenômenos aconteceram e acontecem, você terá condições de fazer algo para que o futuro tome o rumo mais desejado. Isso não lhe dá garantias de que o futuro realmente seguirá na direção planejada, incerteza que oscila em função do fenômeno que se estuda e da forma como ele é estudado.

No que diz respeito à climatologia, as controvérsias são comuns. Os australianos ignoraram isto recentemente e saíram às ruas protestando contra o aquecimento global e pedindo ações do governo no sentido de reduzir a emissão de poluentes. Demonstraram desta forma que a estupidez não é exclusiva do ocidente.

A primeira estupidez é dizer amém ao alarmismo que se tornou regra quando o assunto é aquecimento global. Já tratei do assunto diversas vezes. Para evitar repetições, sugiro a leitura do artigo de José Carlos Azevedo n’O Estado de S. Paulo. Vale lembrar que a passeata australiana se baseou menos nos boletins meteorológicos do que nos noticiários sobre o aquecimento global.

A segunda estupidez é a idéia de que um fenômeno global pode ser resolvido através de ações do governo. O problema não está em manifestar-se contra coisas ruins — mesmo que irreais –, mas em pedir soluções para problemas que não foram compreendidos completamente. Se o fenômeno é global, sua solução não se dará através das ações do governo australiano — a não ser que Cérebro esteja à frente desse governo e tenha planos de dominar o mundo. Por outro lado, para que as ações do governo australiano tenham alguma utilidade, deve-se admitir que o fenômeno do aquecimento não é global.

A terceira estupidez é imaginar que uma ação específica possa resolver o problema acusado. É, na verdade, uma dupla estupidez: ela admite que a causa do aquecimento global é a poluição e que o controle dessas emissões irá controlar o aquecimento, o que é uma visão bastante limitada do que seja o clima — mesmo que se dê muita importância à ação humana sobre o clima.

O que preocupa é saber que chegamos a um estado de coisas em que todas os povos têm condições de fazer o que os australianos fizeram. Ainda que no Brasil, por exemplo, alguns assuntos sejam mais interessantes (política, violência etc.), não há dúvidas de que os brasileiros têm o physique du rôle para competir com os australianos no quesito besteira. E se um povo não hesita antes de gastar sola de sapato para defender as causas mais idiotas, são grandes as chances de não hesitar para assinar cheques em branco e dizer amém a asneiras ainda maiores. É tudo questão de tempo.

*
Anos atrás, havia uma cena num programa de TV protagonizado pelo Luis Fernando Guimarães que ilustrava o comportamento das pessoas diante do aquecimento global.

O programa falava do verão. O sujeito acordava numa manhã típica da estação, saía à varanda de seu apartamento e comentava para si enquanto se espreguiçava: “Ah, como são boas essas manhãs de verão, sempre fresquinhas, agradáveis!”. Em seguida olhando para o termômetro preso à parede ele diz “Minha nossa, como está quente! Que calor absurdo!”.

Anúncios

12 comentários sobre “Enlouquecimento global

  1. Gostei de uma vez uma frase que vc colocou em um de seus post, que perguntava se “VC” (as pessoas) poderiam fazer algo pra salvar os ursos polares hehehehehee, e ja respondendo falou que não, pensei varias vezes nisso ainda mais com o restante do que li hehehee, é verdade, tipo as pessoas se preocupam tanto com critiar, reclamar e bla bla bla, que esqueceram da materia prima que gastaram fazendo as manifestações, de onde vai sair novas pra fazerem novas solas de sapatos, de uma quinta dimenssão hehehehehee. Existe muitas coisas absurdas acontecendo mesmo, e ninguem faz nem o minimo que é se preocupar com ambiente que o cerca, seus custumes, seus gatos, sua etica ambiental e tals. Vamos lá né, a esperança não pode ser a ultima que morre pois se não hehehehee, tamos ferrados.

  2. Christian, aquecimento global é um assunto controverso. Não tenho dados suficientes para apoiar qualquer dos lados da história. No entanto, tive a oportunidade de estudar em um laboratório que é referência nacional em poluição do ar, e esta experiência me mantêm propenso a acreditar sim que modificamos de maneira significativa nosso clima.

    Em várias conversas com meu ex orientador, um pesquisador muito sério e respeitado, chegávamos à conclusão de que com noções elementares de balanço de massa e energia conseguimos perceber que:

    – O planeta tem uma quantidade muito grande de carbono fixado na litosfera (petróleo e carvão mineral).
    – Subitamente, este carbono começa a ser jogado na atmosfera, na forma de CO2 e não temos sorvedouros de carbono (biomassa vegetal) suficientes para reabsorvê-lo. Portanto, ele fica na atmosfera.
    – O CO2 realmente absorve parte da radiação térmica que incide sobre ele, ou seja, com mais CO2 temos um termo de acúmulo de energia na troposfera maior do que ele seria sem este CO2.

    Ou seja, que uma parte do aquecimento seja antropogênica é um pouco difícil de discordar. No entanto, esta parcela pode não ser significativa, e sem mais dados eu não posso afirmar que ela seja ou não.

    Quem acredita que o “aquecimento global” é uma mera balela aponta dados climatológicos e perfis de composição da atmosfera de milhares de anos, chegando a citar que a história da terra tivemos concentrações de CO2 15 vezes superiores às que temos hoje.

    Honestamente quero estudar mais a respeito do assunto (e saber de onde estes tais dados sairam), mas até que tenha analisado ambos os lados da moeda, ainda tenho certa resistência ao ouvir que o “aquecimento global é uma farsa”, um “cabide de empregos” e coisas do gênero.

    Abraço,

  3. Caro climatólogo:
    se o sr. acha que protestar contra a inércia governamental da Australia no que diz respeito ao cumprimento do Protocolo de Kyoto (que sr. climatólogo também deve achar uma besteira), diria que o sr. não entende nada não só de clima, mas também de geopolítica.
    A Austrália é um destes países que aderiram à pressão Norte-Americana para negar os efeitos da ação humana na mudança climática, a chamada “denial machine”, juntamente com um bando de cientistas que estão enchendo as burras de dinheiro vindo da ExxonMobil para produzir artigos estapafúrdios. Ou então, como o autor brazuca do artigo que o sr. coloca em questão, que não deve ter recebido nada da ExxonMobil, mas está fazendo beicinho porque não foi incluído na rede mundial de cientistas que formam o IPCC.

    O sr. blogueiro deveria tomar uma decisão, se vai até a ExxonMobil reivindicar sua parte pelos serviços prestados ou se vai entrar pra turma do beicinho.

  4. Lookkas,

    minha idéia, quando escrevo sobre o assunto neste site, é mostrar que existe um outro lado nessa história e que as certezas ainda vão demorar para vir.

    Afirmar que não existe aquecimento global equivale a afirmar o contrário. O conceito de aquecimento global é confuso. As pesquisas que afirmam veementemente que o fenômeno está acontecendo e conduzirá ao apocalipse são complexas e ainda inconclusivas. Quase todas elas se adiantam em fazer previsões. Isso não é ciência, é misticismo.

    A quem interessa o misticismo? A quem interessa constituir uma nova religião? E essa nova religião não pede que as pessoas plantem árvores em seus quintais, não pedem que as pessoas parem de usar carro. Ela pede apenas que as pessoas acreditem no que está sendo dito.

    Sem saber em quem acreditar, tento fazer minha parte para que essa ciência de araque seja desmascarada e para que os recursos naturais de minha cidade sejam poupados. Não uso carro porque gera fumaça e barulho e custa caro tê-lo e mantê-lo. Não desperdiço água porque sei que isso custa dinheiro e há poucas nascentes aqui em minha cidade. Não jogo lixo na praia nem no mar. Não largo lâmpadas acesas inutilmente. Se isso não basta aos verdinhos, sinto muito.

    Abraço!

  5. Quer dizer que, nós, os destruidores da Terra, que poluimos e desmatamos podemos continuar a fazer isso sem nennhum remorso ? Que bom para quem se enche de dinheiro com o uso indiscriminado de combustíveis fósseis, que ótimo para a ganância de quem desmata e mata o planeta, afinal é culpa da natureza … nós somos apenas vítimas …
    ESSE PENSAMENTO É ESTUPIDEZ … e graças ao “dono da verdade acima”, não precisamos perder tempo com tentativas de melhorar algo … vamos consumir os recursos que ainda existem, pq não temos futuro mesmo … se existe alguém mais idiota que esse cara, foi quem pagou pela matéria …
    Só uma pergunta. Quando que a camada de ozônio foi tão afetada em um processo natural ?

  6. Techno,

    nós quem, cara pálida?

    Você destrói a Terra, você polui, faz uso indiscriminado de recursos naturais, só usa móveis de madeira nobre, trafica animais e ainda desperdiça água e energia elétrica?

    Nem eu.

    O que mais você espera de mim? Que eu ajoelhe diante de Al Gore?

    O que mais você espera de si mesmo? Você pretende ajoelhar diante de Al Gore?

  7. Prefiro dizer amém pro IPCC do que pros vendidos da ExxonMobil e cia. Nada como a inteligência da precaução quando se trata do meio ambiente.

    “As pesquisas que afirmam veementemente que o fenômeno está acontecendo e conduzirá ao apocalipse são complexas e ainda inconclusivas.”

    Isso é uma das coisas mais estafaúrdias que já li.
    99,99% dos cientistas sérios do mundo duvidam da existência do fenômeno, que a causa é humana e que gerará, e já está gerando, estragos irreversíveis (nunca vi ninguém mencionar a palavra apocalipse, exceto você). Não existe ABSOLUTAMENTE NADA de inconclusivo com relação a isso. Procure ler mais. A “denial machine” quase não tem tido argumentos ultimamente frente aos fatos.
    As pesquisas são complexas sim, exigem muito conhecimento sobre o assunto, mas a conclusão é tão simples quanto 1 + 1 = 2.

  8. Marco,

    Façamos assim: você fica aí com sua credulidade buscando meios de oferecer seu tempo, seu trabalho e seu dinheiro para os apóstolos do aquecimento global e eu fico aqui cuidando da minha vida. Não espere que eu repita neste site a lengalenga “aquecimentista” a que você se acostumou.

    Se esses apóstolos estivessem realmente preocupados com o meio ambiente eles estariam andando de bicicleta, plantando árvores, morando em casas de madeira e dando o exemplo, não na mídia enchendo o saco de quem se esforça pra viver em paz.

    E se dependesse da intelligentzia da precaução ainda estaríamos na Idade da Pedra. Nós, não eles, claro.

  9. OK
    Christian, continue na sua simploriedade camponesa.
    Se você acha que morar em casas de madeira e andar de bicicleta é suficiente para mudar o curso da degradação, enquanto usinas termoelétricas e os combustíveis fósseis ditam o ritmo da produção mundial, é realmente pra se terminar a discussão.

  10. Marco,

    se você acha que o caminho é acabar na marra com usinas termoelétricas e combustíveis fósseis, é realmente pra se terminar a discussão.

    Você pretende, por exemplo, brigar contra Petrobrás?

    Eu não acho os combustíveis fósseis um negócio supimpa e sei que usinas termoelétricas poluem pacas, mas, que diabos, o que eu posso fazer com relação isso?

    É muito mais importante e mais inteligente dar o exemplo do que sair por aí panfletando sobre um assunto que não é totalmente conhecido.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s