País de contradições

chinelo sapato
Nada versus Prada

O Brasil não é um país de contrastes, mas de contradições. E não é difícil perceber que são estas que causam aquelas, não o contrário, como muitos gostam de pensar. A ruína da civilização está na negação e na inversão da realidade. Pobres e ricos, crentes e ateus, negros, mulatos e brancos, trabalhadores e empresários — todos convergem precisamente na facilidade com que aceitam as contradições e sequer as vêem como tais:

— Crimes financeiros são tratados com mais severidade do que crimes contra a vida. O aborto é defendido como se se tratasse de um direito elementar, não como aquilo que de fato é. Assassinos confessos recebem os benefícios da lei e raramente cumprem mais do que 1/5 da pena que lhes foi imposta.

— Criam-se cada vez mais restrições ao cigarro e aos alimentos «não-saudáveis» (como se o conceito já não fosse idiota por si) e ao mesmo tempo discutem-se a legalização e a descriminalização de drogas. Evitar o cigarro comum e alimentos gordurosos torna-se caso de polícia, enquanto as questões que só cabe à polícia resolver permanecem arquivadas.

— As ações afirmativas, que na teoria propõem-se a defender minorias, constituem ameaças reais às maiorias, como se isto fosse necessário para obter aquilo e não representasse o risco da inversão do sinal dos problemas atuais. Exemplo disto é a forma como os movimentos gays e negros se articulam para obter cada vez mais poder de influência — seja ele cultural, político, jurídico ou econômico –; que isto seja obtido em detrimento de todos aqueles que não participam desses grupos, é mero efeito colateral e reparação aos olhos dos participantes desses movimentos.

— O período dos governos militares deve ser incessantemente demonizado enquanto a ditadura socialista atual, em franco progresso, é ignorada. A politização de tudo, a implantação de leis dignas da ex-URSS, o labirinto burocrático e tributário — tudo isto torna a vida livre cada vez menos possível. A cidadania deixa de ser o exercício consciente e proporcional de direitos e deveres e passa a ser medida apenas pela capacidade que o indivíduo tem de submeter a própria consciência à ditadura socialista, sem ver nela qualquer traço totalitário.

— A liberdade de expressão é argumento fácil para solapar as bases do Estado de Direito. Não existe debate, há apenas a troca de ofensas, o espírito de torcida e a perda da noção de verdade e justiça mesmo em grupos criados especificamente para buscar estes valores, preservá-los e defendê-los racionalmente.

Este país cresce sob a lógica da Rainha de Copas. Uma pobre coitada é presa porque irritou um motorista com um comentário inadequado. Uma sonegadora de impostos é condenada a 90 anos de prisão, enquanto a assassina dos próprios pais terá liberdade depois de passar 5 anos na cadeia. Quem puxa o gatilho é considerado vítima. O presidente faz um comentário assumidamente racista e nada lhe acontece, tampouco lhe exigem uma retratação pública. Nos sonhos dourados dos soldados da ação afirmativa, a política de cotas deverá tomar 60% das vagas das universidades, arruinando definitivamente a idéia de que a universidade deve concentrar as melhores mentes de um país.

***

Eu não digo estas coisas como quem resmunga diante da TV. Meu objetivo é bem menos bonito.

Sinto que a pessoa que ainda é capaz de perceber estas coisas simplesmente está imune à conversa do «país dos contrastes». Logo, dará de ombros para a desigualdade, o que, no Brasil de hoje, seria um bom começo. Encarar seriamente as contradições, principalmente quando elas estão relacionadas ao modo como conduzimos nossas vidas, perceber a relação entre os problemas mais visíveis e mais noticiados e aquilo que circula em nossa própria mente, buscar compreender os riscos de uma vida desprovida de princípios — eis algumas coisas que considero fundamentais.

***

«Faça aparecer o que sem você não seria talvez jamais visto» — Robert Bresson.

.
link da imagem

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s