E agora?

A festa da democracia não terminou. Ainda vejo bêbados caídos no chão, vomitando nos cantos e balbuciando palavras sem nexo. Prossigamos mesmo assim e aproveitemos a lucidez que ainda nos resta para tomar algumas notas.

Continuar lendo

Schizo

Esquerdismo é uma forma branda de esquizofrenia.

Quando alguém diz que “é necessário reduzir a riqueza”, disque 192 e chame socorro psiquiátrico. Você pode perguntar se a frase era aquela mesma, se havia um contexto oculto em que ela deveria ser compreendida, se, enfim, houve algum engano ou mal-entendido. Você pode dar chances do interlocutor reparar a asneira dita. E ele — ou ela — poderá até escrever outras coisas que o deixarão tranqüilo e o farão pensar que, ufa, ele — ou ela — não é esquizofrênico. Continuar lendo

Ainda os vermelhos

fau usp maranhão vila penteado

Recebi através de uma lista de discussão um email de divulgação do VII Seminário da LARES – Latin American Real Estate Society – Sociedade Latino Americana de Estudos Imobiliários. O evento deve acontecer na Escola Politécnica e, como o nome sugere, focalizará o mercado imobiliário.

Uma das respostas ao email foi no mínimo surpreendente (grifos meus):

Pelo jeitão da coisa, trata-se de picaretagem com lustro acadêmico. Surge uma saudade dos militantes das Brigadas Vermelhas, atirando moedas na cara de certos professores, enquanto eles “ministravam” aulas.

O sujeito que escreveu a pérola acima é aluno de pós-graduação na USP. Não pretendo sustentar que isso prova algo a respeito da instituição, mas é preocupante saber que de lá sai gente que suspira por terroristas, como se isso fosse a coisa mais normal e linda do mundo.

Contestar é uma coisa, quase sempre saudável no ambiente acadêmico, desde que feito com educação e inteligência. Rosnar e ameaçar é outra, totalmente oposta àquilo que se espera de alguém que recebe educação pública e gratuita, orientação de um professor habilitado e, ao fim, o título de mestre ou doutor.

Impagável

Castelo Branco

“O último grupo político que pensou estrategicamente no país foram os militares durante a ditadura. Todo o resto agiu emergencialmente pensando nas eleições que estavam por vir ou na água que estava batendo na bunda.” — Bernardo Carvalho, do RTFM.

Comentários? Choramingos?

*
A propósito disso, vale a pena ler este artigo.

Esquerda

A maior prova de que as esquerdas são uma empulhação é o fato de que elas são as primeiras a esbravejar por um mundo melhor e as últimas a efetivamente colocar a mão na massa por isso, preferindo, a esta ação, acusar os outros de que não fizeram aquilo que elas exigiram.

Em outras palavras, se o discurso das esquerdas tivesse algo de lógico e sensato, os esquerdistas seriam grandes filantropos em vez de serem grandes genocidas, corruptos ou arruaceiros.